Dilma Rousseff discute comércio e crise global com Obama no EUA




Publicado em 09-04-2012 14:17


Dilma e Obama em declaração à imprensa durante a visita do presidente norte-americano ao Brasil em março de 2011 (Foto: Roberto Stuckert Filho / Divulgação / PR)

Dilma e Obama em declaração à imprensa durante a visita do presidente norte-americano ao Brasil em março de 2011 (Foto: Roberto Stuckert Filho / Divulgação / PR)

O primeiro compromisso nesta segunda-feira (9) da agenda da visita oficial da presidente Dilma Rousseff aos Estados Unidos será uma reunião na Casa Branca – seguida de almoço – com o presidente Barack Obama, na qual ambos discutirão temas relacionados ao comércio entre os dois países, a cooperação nas áreas de educação, tecnologia e energia e assuntos de política global.

A reunião será o terceiro encontro bilateral entre Obama e Dilma desde a posse dela, em janeiro de 2011 e, segundo Erin Pelton, porta-voz da Casa Branca, “vai aprofundar uma parceria que nunca foi tão forte”. Com a viagem, Dilma retribui a visita de Obama ao Brasil em março de 2011.

No encontro com Obama, a presidente deverá reiterar a necessidade de unir esforços no combate à crise econômica mundial, com uma ação conjunta para se fazer frente à instabilidade provocada pela “guerra” cambial. No mês passado, Dilma reclamou do que chamou de “tsunami monetário” dos países desenvolvidos, do qual, segundo ela, o Brasil se tornou alvo.

Na área comercial, depois de décadas, os Estados Unidos foram ultrapassados pela China e deixaram de ser o principal parceiro comercial do Brasil. Os dois governos pretendem agora ampliar as trocas comerciais, estimulados pelos sinais de recuperação da economia norte-americana.

Veja no vídeo ao lado entrevista à Globo News do embaixador dos EUA no Brasil, Thomas Shannon, sobre a visita de Dilma

Esse interesse será reforçado por dois eventos entre empresários de Brasil e EUA dos quais Dilma participará nesta segunda após a visita à Casa Branca. À tarde, ela irá ao encerramento do Fórum Brasil-EUA de Altos Empresários e do seminário “Brasil-EUA: Parceria para o Século XXI”. Depois, terá um encontro com empresários norte-americanos.

Em relação à agenda internacional, os dois presidentes deverão falar no encontro na Casa Branca sobre a situação na Síria; a chamada “primavera árabe”; a reforma da Organização das Nações Unidas (ONU) – o Brasil pleiteia uma vaga no Conselho de Segurança da organização -; e também sobre a agenda da 6ª Cúpula das Américas, da qual ambos participarão no próximo final de semana, em Cartagena de Indias (Colômbia).

Na terça (10), Dilma vai tratar de educação. Ela visitará o Massachusetts Institute of Technology (MIT), em Cambridge (Massachusetts), e a Universidade de Harvard, em Boston. Ela vai se encontrar com acadêmicos, pesquisadores e bolsistas brasileiros do programa Ciência sem Fronteiras e com o governador de Massachusetts, Deval Patrick.

Com o Ciência sem Fronteiras, o governo pretende enviar às 50 melhores universidades do mundo 100 mil estudantes de graduação e pós-graduação, dos quais 20% para os Estados Unidos, em parte graças à cooperação oferecida pelo governo de Obama.

Sete ministros fazem parte da comitiva presidencial nos Estados Unidos: Antonio Patriota (Relações Exteriores); Aloizio Mercadante (Educação); Marco Antonio Raupp (Ciência, Tecnologia e Inovação); Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio); Gleisi Hoffmann (Casa Civil); Aguinaldo Ribeiro (Cidades); e Helena Chagas (Secretaria de Comunicação Social da Presidência).


Tags:


Deixe Comentário Usando o Facebook

Deixe uma Resposta


sete × = 42


Login | Desenvolvido por Gabfire themes